Habemos treinador

Domènec Torrent é contratado para dar sequência ao legado de Jorge Jesus no Flamengo

FOTO: DIVULGAÇÃO /NEW YORK CITY

 

  Por 

 

Rodolfo Landim entrou no circuito. Por um motivo simples. A demora para se encontrar um substituto para Jorge Jesus. O presidente do Flamengo tem senso de urgência. À primeira vista, ele não gostou das negativas de Leonardo Jardim e Carlos Carvalhal. Afinal, o dirigente entende que o luto rubro-negro após a saída do Mister tinha de acabar o mais rápido possível.

Muito dinheiro, projeção internacional e promessa de um time capaz de brigar por tudo. Esses foram os argumentos de Landim para convencer Domènec Torrent. Foi pelo lado emocional que o dirigente fechou a contratação do espanhol. E que o defendeu, quando alguns dirigentes pediam internamente a contratação de Rogério Ceni.

Rodolfo Landim, antes de mais nada, estava convicto da escolha. Afinal, o Flamengo desprezou o trabalho dos treinadores brasileiros. Torrent receberá 98,7 mil euros (R$ 600 mil pela cotação atual). Seu salário, inclusive, foi triplicado em relação ao New York City. Além disso, terá mais 65,8 mil euros (R$ 400 mil) para montar a sua comissão técnica.

Com a ajuda de Maurício Souza, que será efetivado como auxiliar técnico permanente do Flamengo, o novo treinador também participará das chegadas e saídas de atletas. Ele, nesse ínterim, também terá a missão de observar e identificar futuros talentos na próspera base rubro-negra. Afinal, o time Sub-20 oferece boas opções para integrar o elenco na sequência da temporada.

Domènec Torrent sabe que terá a missão de manter o “modo rubro-negro” de jogar. Jorge Jesus, antes de mais nada, superou rivais, quebrou tabus, calou a boca dos treinadores brasileiros, conquistou a imprensa e principalmente a Nação. Por ter sido auxiliar de Pep Guardiola, Torrent é obcecado pela força, velocidade, intensidade e ofensividade. E será assim no Flamengo.

Por isso, ele terá de armar um time que pressione, sufoque o adversário, quando atuar dentro e fora de casa. Além disso, o espanhol gosta de propor o jogo, sabe como deixar o adversário desesperado e tem vocação para vitórias. A diretoria quer que Torrent monte uma nova equipe com as características de Jorge Jesus, vencedora de cinco taças nos últimos meses.

Rodolfo Landim está eufórico. Marcos Braz e Bruno Spindel apostam que contrataram o técnico certo. Os dirigentes entendem que espanhol será capaz de dar sequência ao legado de Jorge Jesus no Flamengo. Por outro lado, tem gente que fez bico com a contratação do espanhol. Mas as portas estão escancaradas para o começo de uma nova era. A era de Domènec Torrent.

 

CURTINHAS:

Domènec Torrent foi auxiliar técnico de Pep Guardiola no Barcelona, Bayern de Munique e Manchester City (Foto: Divulgação /Bayern de Munique)

 

FALA, DOMÈNEC TORRENT: “Minha prioridade é treinar um grande clube e o Flamengo é um dos maiores clubes do mundo”.

CAPITÃO NASCIMENTO: Em francês, lê-se: “Domênec Torran”. Em português, lê-se: “Domenequi Torrã”. Em carioquês da Praia do Flamengo: “Domê”.

 

REFLEXÃO: Domènec Torrent foi o único treinador que declarou publicamente o interesse de treinar o Flamengo. Ele deixou de ser a terceira opção em menos de 24 horas. A história do espanhol começa a ter um enredo.

BOCA PEQUENA: Fique sabendo lá pelas quebradas da Gávea que o empresário Carlos Leite foi o responsável por aproximar Domènec Torrent do Flamengo. Para quem não sabe, o agente cuida carreira de Mano Menezes e de outros figurões do futebol brasileiro.

 

Comentários

Notícias relacionadas